A Cidade e suas Origens
Identidade com a Cultura Popular

A inauguração do Museu de Arte Popular - MAP - representou um significativo momento para o processo de afirmação das expressões populares na região metropolitana da Grande São Paulo, expressões estas quase sempre relegadas a ficarem restritas ou esquecidas às comunidades da periferia e, sem que lhes seja dado o devido valor estético e cultural. Os valores, conhecimentos e fazeres (artísticos, culturais, religiosos) da tradição oral e rural, quando da migração para a “cidade grande” enfrentam dificuldades de continuidade, em decorrência do processo de desenraizamento sócio-cultural a que ficam expostos. A “lógica do urbano”, das cidades industriais valoriza primordialmente a escolaridade e o diploma, não os saberes informais e a oralidade; os trabalhos heterônimo, tecnicista e individual não o comunitário, participativo e solidário.

Os valores sócio-culturais das origens, portanto, são mantidos como resistência, aqui e ali, por laços étnicos ou por relações comunitárias. Há que se ressaltar também o muito que destas tradições vão se recriando na nova realidade com a transmissão às novas gerações. O que se impõe é um embate entre a permanência do patrimônio herdado sem abrir mão de uma luta pela conquista da ascensão social e o acesso ao consumo.

Diadema, cidade onde nasce a iniciativa de criação do MAP é fortemente marcada por este processo migratório acelerado que ocorreu no Brasil a partir da década de 60. A população é majoritariamente de migrantes e descendentes de segunda e terceira geração; sua identidade urbana vem se constituindo com a marca desse fenômeno, caracterizado na intensa atuação comunitária e na informalidade das relações sócio-político-culturais. A simplicidade objetiva de assentamento e a afirmação de Diretos Sociais talvez sejam as razões que melhor explicam sua dinâmica social.

Na cidade de Diadema o mutirão é símbolo; o fazer manual não desprezado; a oralidade é raiz; as manifestações de rua, sempre presentes; a religiosidade, intensa e em diversos cultos; as reuniões comunitárias e festas, uma constância; a sociabilidade eminentemente participativa, calorosa e popular.

O Museu de Arte Popular - MAP - é o único de Diadema; o primeiro do gênero na Região do Grande ABC. Por tudo o que representa, ocupa um espaço precioso na construção da cidadania cultural e, é inegável, inicia suas atividades com um forte vínculo e lastro social. Sua missão está justamente pautada pela expressão e reconhecimento do saber popular, em particular de suas criações artísticas, culturais, com a perspectiva de também se constituir como local e momento do reencontro, de vivências de práticas culturais coletivas.

 

 

 

 

 

 

| A Cidade e suas origens

| Politica Cultural da Cidade

| Construção de um Olhar

| Um Sonho Chamado MAP

| MAP uma bem Público

| Inauguração e Exposições

| MAP e seu acervo

| Parcerias, ações e participações

| Os caminhos do MAP

| Equipe de trabalho

| Catálogos Digitais MAP

| MAP Matérias

<< Anterior - Próxima >>

<< Voltar - Home >>

<< Home MAP