Home | Apresentação | Release | Curriculum | Exposições | Matérias | Contato |

2011

Mulheres Inesperadas - Pinacoteca de São Bernardo do Campo - março/2011

Mulheres Inesperadas

Texto de Julio Mendonça

Um flagrante das formas e figurações da produção artística de mulheres da região do Grande ABC: foram selecionadas e convidadas algumas das mais importantes artistas em atividade. O resultado é um flagrante, um instantâneo, sem a pretensão de ser abrangente. Inesperadas, essas mulheres, porque reunidas nesse registro instantâneo. Inesperadas, por que nada se deve esperar delas, principalmente o que se poderia denominar com rótulos como "arte feminina" ou "arte feminista".

Se vemos seu trabalho despojados de expectativas, é possível distinguir algumas características comuns a boa parte das obras apresentadas, todas de criação recente. Por exemplo, o uso de materiais e técnicas de trabalhos manuais (ou a eles relacionados) praticados tradicionalmente por mulheres, encontráveis nas obras de Cristina Suzuki, Andréia de Alcântara, Lourdes Sakotani e Gaby Braun. De Lourdes Sakotani, encontramos o grafismo áspero de uma xilogravura aplicado sobre o tecido das formas sóbrias e delicadas de um kimono. Andréia de Alcântara revê (literalmente, ao espelho) nosso sincretismo religioso no feminino; as prendas artesanais bordadas num manto de santa, tanto vestem quanto desnudam o sagrado. Gaby Braun aplica estampa, carimbos e bordado sobre cortinas de tecido que velam e desvelam as esperanças, os enganos e a violência contra as mulheres. Cristina Suzuki expande o procedimento modular - baseado na repetição de padrões - da tradição da estamparia em tecido, para a arte gráfica digital de motivação fractal.

Um olhar antropológico subjaz aos trabalhos de Agda Carvalho e Carmen Novo. Agda compõe um painel de depoimentos em vídeo que cruzam os desejos, encontros/desencontros, realizações e sentidos nas histórias de vida de diferentes mulheres. Quatro fotos de Carmen Novo exemplificam o que se pode denominar antropologia da intimidade coletiva. Duas delas perscrutam as vivências impregnadas em objetos de estima. Outras duas, metalinguísticas, fazem de fotografias de fotografias realizadas com crianças um estudo sutil da formação das máscaras sociais.

Lourdes Sakotani, Bete Bovo e Edvânia Rego dirigem sua sensibilidade para a natureza exterior - para a vida vegetal. Nas cerâmicas com técnica mista de Edvânia, observamos a atenção minuciosa às formas vegetais e o desejo de virtualizá-las como formas plásticas/gráficas. Nas gravuras de Lourdes, as formas vegetais fragmentadas e fragilizadas fundem-se; raízes e galhos/hastes tornam-se grafismos ferindo nosso olhar desatento. Na árvore pintada na parede por Bete Bovo, a relação problematizada entre pintura e fotografia, interior e exterior, o recorte da arte e a realidade irredutível - questões recorrentes em sua produção.

Elementos dessa natureza vegetal também podem ser vistos nos trabalhos de Damara Bianconi, mas percebe-se que eles já foram manipulados pela ação humana e participam de um magma de formas e materiais que, embora os títulos das obras falem de ordem, parece exprimir a desordem inerente a um mundo em permanente e imprevisível mudança.

As obras reunidas nesta exposição transitam entre o olhar extrovertido para a natureza e o olhar interior para a vida humana e social, entre tornar objetiva a experiência do mundo e mergulhar nas imagens que construímos dentro de nós. Não devemos esperar nada destas artistas; antes, prestar atenção no que elas estão fazendo.

39 Salão de Arte Contemporânea Luis Sacilloto- Santo André

Sacilloto

Fé, Sentir e significar - Centro Cultural Inamar - Diadema

Exposição 2010

Arte e trabalho com Arte - MAP- Museu de Arte Popolar de Diadmea

2010

Fé, Sentir e significar - Centro Cultural Taboão - Diadema

Siginificar_Taboão

2009

Fé, Sentir e significar - MAP - Diadema

Sentir e siginificar

Três Olhares, Arte Cidade e Religião - MAP - Diadema

 

2008

Acrochage Primavera - Montreuil, França

Montreuil

mOntreuil 2

A poética e o universo da Mulher – Centro Cultural Diadema

Religiosidade popular - Exposição fotográfica - MAP Diadema

 

2007

Mostra de arte de Diadema – Centro Cultural Diadema

atribuição divina

 

2006

Caminhos: Haikais e fotografias Centro Cultural Inamar, Diadema - maio/2006

haicai

Mostra de fotografia e literatura. Imagens de Andréia Alcantara e poesias Haicai
de Teruko Oda, ambas tendo a natureza como fonte de inspiração.

Exposição coloca lado a lado fotografias de Andréia Alcantara e haicais de Teruko Oda.

O Centro Cultural Inamar abre no dia 11 de maio de 2006, quinta, às 19 horas, a exposição "Caminhos", apresentando 14 Haicais de Teruko Oda dialogando com as imagens abstratas de detalhes da natureza de Andréia de Alcantara.

A haicaísta Teruko Oda explora alguns elementos da nossa fauna: pequenos, grandes, minúsculos; os que pulam, os que caminham, alguns que voam, outros que rastejam; os úteis, os nocivos. A fotógrafa Andréia Alcantara explora elementos de nossa flora: imagens abstratas através de pequenos detalhes de troncos de árvore. Ambas captam instantes da natureza, momentos únicos em sua eternidade. A semelhança entre os temas das duas artistas, ambas ligadas a questões da natureza, levaram Mardilene Damazia da Costa, agente de comunicação do Centro Cultural Inamar, a convidá-las para desenvolver um trabalho juntas.

Exercício de criação poética - Haicai - maio-2006
Coordenação: Teruko Oda
Apresentação de alguns fundamentos para a composição desse tipo especial de texto.
Proposta de criação poética sobre temas da estação outono/inverno.
Comentários e avaliação em grupo. Sorteio de livros de haicai.
Data: dia 27/05/2006 às 17h00
Entrada franca - inscrições no local

Teruko Oda é professora e poeta. Nasceu em Pereira Barreto-SP. Filha de imigrantes japoneses, aprendeu a vivenciar a poesia, ainda na infância, através de seu pai. É formada em Estudos Sociais pela Faculdade de Filosofia, Ciências e Letras de Araçatuba-SP. "... Em todas as suas publicações está presente o olhar atento / sensível ao real em volta e que, de repente, 'ilumina' certo gesto, certa paisagem, certo ser...; iluminação que transformada em palavras, transforma o que era 'relâmpago' em luz permanente." É autora de oito livros individuais, entre eles, Janelas e tempo (2003, poesia, 2a edição, Escrituras Editora), incluído no PNLD/SP/2004 (Programa Nacional do Livro Didático); três obras em co-autoria e participação em dezenas de antologias e publicações diversas no Brasil e no exterior. Na obra A Dozen Tongues (World Haiku Association, 2001), a autora representa o Brasil e a língua portuguesa. "Teruko Oda é, sem sombra de dúvida, a maior voz poética do haicai brasileiro." Prof. Dr. Paulo Franchetti (UNICAMP) Membro do Gêmio Haicai Ipê de São Paulo (SP), o mais tradicional grupo de estudos do haicai do Brasil. Coordenadora DO Grêmio Haicai Caminho das Águas, de Santos (SP), desde a fundação em 1995.

http://www.kakinet.com/news/n060507c.php

Caminhos - 6ª Mostra do Programa anual de exposição - Saguão do Teatro Cacilda Becker - São Bernardo do Campo (semi-individual) - novembro/2006

O Paço Municipal de São Bernardo do Campo realizará no dia 28 de novembro de 2006,terça, às 20 horas, a abertura da 6ª Mostra do Programa anual de exposição 2006, exibindo as pinturas e fotografias abstratas de Maura Rodrigues e Andréia de Alcantara, respectivamente.

Tanto pinturas de Maura Rodrigues, como as fotografias de Andréia Alcantara fazem referência à natureza. Maura a utiliza como fonte inspiradora e Andréia explora imagens abstratas através de pequenos detalhes de troncos de árvore.

A exposição conta também com os Haicais de Teruko Oda, especialmente criados para as imagens abstratas de Andréia de Alcantara

Maura Rodrigues , moradora em Santo André, é artista plástica formada pela Abra.

Sempre preocupada com a pintura, faz o jogo das cores aplicado espontaneamente camadas grossas e finas de tinta além de traços entrelaçados utilizando-se de diversos materiais. Emprega em suas obras óleo, acrílica e aquarela. Trabalha também com encáustica, resina e colagem utilizando como suportes tela e papel vegetal. Tem como fonte de inspiração a natureza tentando retratar sua essência em suas obras.

Andréia Alcantara , Moradora em Diadema, é artista plástica e educadora. Iniciou sua formação em Artes Plásticas em 1992 na escola de desenho Atelier. Formou-se Designer pela faculdade de Belas Artes de São Paulo em 1998. Em 2001 inicia ensaios fotográficos explorando o caráter abstrato dos detalhes, dentre eles os de troncos de árvores.

Universo feminino - Centro Cultural Diadema - Diadema (semi-individual) março/2006

universo feminino

Universo Feminino

Exposição que aborda um tema um tanto complexo, devido ao próprio feminino ser multifacetado, dinâmico e surpreendente. Toda esta gama de variações inerente a este Universo, será abordado por Andréia Alcântara , fotógrafa, que tem a natureza como objeto de reflexão, entendendo-a como berço dos seres, local de acolhimento, próprio das mulheres; Lígia Borges, artista plástica, busca as origens da vida, situada no feminino, através de mandalas; Maria Cardoso, escultora, retrata uma condição peculiar dada somente à mulher, a maternidade.

Um Mais Uma - Centro Cultural Eldorado - Diadema (semi-individual)

uma mais uma

Mostra de Artes de Diadema - Centro Cultural Diadema

 

2005

Abstrações I - Centro Cultural Taboão – Diadema (individual)

Abstrações II - Centro Cultural Inamar - Diadema (individual)

Abstrações-inamar

inamar-abstrações

35º Salão Bunkyo - Museu de cultura Japonesa - São Paulo

 

Mostra de Artes de Diadema - Centro Cultural Diadema

Impremanencia

Mapa Cultural Paulista - Teatro Municipal de Osasco

impremaneicia 2

Exposição ensaios: Lugar de arte, lugar da arte setembro/2005

A exposição “Lugar de arte, lugar da arte” apresenta ensaios dos 12 oficineiros de Artes Plásticas da cidade em suas diversas linguagens. Sária Saemi, Joanan Prates e Gau Ferreira mostram desenhos; Carlos Lotto, Poética visual; Lígia Borges, Regina Heyn, Virgínia Galvão, Robson Souza, pinturas; Andréia Alcantara, fotografia; Cristina Veronezzi, instalação; Jorge Vargas, esculturas e Edmilson Moraes, objetos tridimensionais.

 

2004

Realidade Abstrata - Espaço Aliança Francesa - Vila Madalena (individual)

Detalhes da natureza ganham vida ao serem enquadrados no visor da câmera fotográfica.

O enquadramento garante a centralização do olhar sobre o detalhe gerando imagens abstratas.

... Os troncos das árvores são muito ricos em cores, texturas e formas. Basta observá-las para vermos belas imagens.

É nesta observação que está baseado o ensaio fotográfico de Andréia Alcantara: Traz sempre consigo uma máquina fotográfica para registrar os pequenos e delicados detalhes da natureza.

Aproveite o início da primavera para exercitar seu olhar nas belas formas que a natureza oferece.

 

Projeto murais, Arcos da memória – Diadema

Murais Diadema

Processos e Passagens - Sesc São Caetano - São Caetano de Sul

processos e passagens

 

Retratos de Mulher - Centro Cultural Diadema – Diadema

retratos de mulher

retratos de mulher

Mostra de Artes de Diadema - Centro Cultural Diadema

mostra de arte

2003

Mostra de Artes de Diadema - Centro Cultural Diadema

Artes Plásticas - Espaço Cultural Alberico Rodrigues - Vila Madalena

2002

32º Salão Bunkyo - Museu de cultura Japonesa - São Paulo

Bunkyo